Página Inicial

8 de Maio de 2018

Em coletiva, Unimed VR apresenta números e ampliação, mas afirma: não temos capacidade de absorver a demanda do Vita

Jornal Ponto - online

Em meio a grande movimentação em Volta Redonda por conta da possibilidade do fechamento do Hospital Vita, na Vila Santa Cecília, a Unimed anunciou na manhã desta segunda-feira, 7, em uma entrevista coletiva para imprensa e representantes de entidades da cidade, a ampliação e modernização do seu Hospital e demais instalações na Rodovia dos Metalúrgicos, o aumento da capacidade de atendimento no setor de coletas, na rua 33, na Vila e também a criação de uma nova sede para coletas, no Dourados Shopping, no Retiro.

 
Este movimento de expansão anunciado pela cooperativa vai à contramão da crise do setor de saúde privada que parecia ter chegado com toda força na cidade do aço, por conta do possível fechamento do Vita.
 
Com este anuncio de ampliação, a Unimed Volta Redonda que conta atualmente com 461 médicos cooperados e 1.100 colaboradores para atender os seus 56 mil clientes, irá gerar um número significativo de novos postos de trabalhos diretos e indiretos em Volta Redonda.
 
De acordo com o presidente da Unimed Volta Redonda, Dr. Luiz Paulo Tostes Coimbra, este movimento de crescimento da cooperativa é uma forma que a mesma colabora para ajudar a movimentar economia local: `A Unimed Volta Redonda, tem investido continuamente na profissionalização das pessoas e em tecnologia. Acreditamos que este caminho para construção da competência. Nossa cooperativa gera mais de mil empregos diretos e 300 indiretos, além de colaborarmos para o desenvolvimento das pessoas e movimentarmos a economia da nossa região`. afirmou.
 
Tostes ainda ressaltou durante a coletiva, que a cooperativa admitiu recentemente 50 novos profissionais, e que a mesma possui o compromisso em contratar novos colaboradores que sejam moradores da cidade e realizar compras de materiais no comércio local: `Assim como fizemos quando construímos o hospital, o nosso compromisso é contratar mão de obra local e comprar tudo o que for possível no comércio de Volta Redonda. Isto traz uma melhoria na empregabilidade da cidade, atrair recursos, investimentos locais que geram oportunidades, inovação e vanguarda no serviço de atendimento. Em março deste ano os nossos cooperados receberam os juros sobre o seu capital, sobras e bonificação e os funcionários receberam as suas PPRS, nós investimos na questão da performance do nosso quadro de colaborares. Nós colocamos em Março na economia de Volta Redonda, além dos salários habituais, e a remuneração dos cooperados, R$ 14 milhões no comercio da cidade é um dinheiro que fica em Volta Redonda, disse o presidente da Unimed`. Afirmou.
 
O presidente da cooperativa aproveitou ainda para rechaçar a ideia de que essas mudanças estariam ligadas aos últimos acontecimentos envolvendo o Hospital Vita, alegando que todo planejamento de expansão da Unimed já estava definido antes mesmo de começar a circular as informações sobre o possível fechamento do antigo hospital da CSN e revelou também que a Unimed Volta Redonda não está preparada para atender de uma só vez toda a demanda de clientes do Vita, caso o mesmo seja fechado: `O nosso investimento já estava planejado antes desta informação da possibilidade do fechamento do Vita. Era algo que nunca esperávamos e torcemos para que isto não aconteça, nós não temos nenhum poder para influenciar nisto e isto preocupa a gente. Entendemos que o nosso hospital tem um papel regional, pois atraímos pessoas de fora e por isso acreditamos na expansão. Com a noticia do possível fechamento do Vita, trouxe uma preocupação muito grande para nós, porque não temos a capacidade de suprir o Vita, a cidade deve sofrer um grande impacto se isso realmente acontecer da maneira como vem sendo noticiado`. Completou.
 
Apesar de ainda estar em caráter de indefinição o fechamento ou não do Vita, Tostes afirmou que a Unimed Volta Redonda já sentiu o aumento da demanda de novos clientes, mas garantiu que mesmo a Unimed tendo realizado até abril 2.600 atendimentos de clientes de um famoso plano de saúde que se consultavam no Vita, o Hospital da cooperativa não possui a capacidade de absorver toda clientela do hospital localizado na Vila Santa Cecília: `Já sentimos um aumento de demanda, tanto é que nós fizemos algumas adequações, mas já suportamos um pouco mais de atendimentos, porém não conseguimos atender a totalidade de pessoas que o Vita recebe.` Finalizou.
 
https://www.jornalponto.com/single-post/2018/05/07/Em-coletiva-Unimed-VR-apresenta-n%C3%BAmeros-e-amplia%C3%A7%C3%A3o-mas-afirma-n%C3%A3o-temos-capacidade-de-absorver-a-demanda-do-Vita

Escrever comentário
Nome*
E-mail*
Comentário*
 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Unimed Volta Redonda. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A Unimed Volta Redonda poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.