Página Inicial

15 de Janeiro de 2020

Transplante de medula óssea em paciente sem parentesco é feito em Volta Redonda

Jornal Diário do Vale - impresso e online

 

Transplante de medula óssea em paciente sem parentesco é feito em Volta Redonda

Matéria publicada em 14 de janeiro de 2020, 18:30 horas

 


 

Paciente junto à equipe médica em comemoração ao sucesso do transplante
(Foto: Divulgação)

Volta Redonda- O Hospital Unimed fez o primeiro transplante de medula alogênico, não aparentado, ou seja, o doador foi encontrado no Redome – Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea, e não possuía nenhum grau de parentesco com o paciente. Paulo Moura, de 62 anos, portador de mielofibrose – um tipo raro de câncer que afeta as células responsáveis pela produção de sangue na medula óssea- recebeu o transplante de uma doadora da França.
– Gostaria de pedir que as pessoas sejam doadoras de medula óssea. Eu, graças a Deus, consegui uma doadora lá da França e nós temos pessoas aqui ainda precisando de um transplante – disse o paciente durante uma comemoração oferecida pelo hospital pelo sucesso do procedimento.
Paulo descobriu a doença durante uma consulta de rotina. Foi um ano de exames até chegar ao diagnóstico, um longo período de tratamento e cerca de seis meses a espera de um doador.
– Fui um felizardo. Tive três doadores 100% compatíveis, além de minhas filhas que tinham 50% de compatibilidade – contou o paciente acrescentando ainda: “Já suspeitava que a medula tinha pegado, mas a sensação de ser surpreendido pela equipe do Hospital com a notícia é de renascimento. É claro que ainda tenho um caminho a percorrer, mas o principal era a medula pegar. Durante os 42 dias de internação fui muito bem cuidado. A equipe de enfermagem é espetacular. Médico é cada um melhor que o outro”, finalizou.
Para se tornar um doador basta procurar o hemocentro do estado e agendar uma consulta. Mais informações pelo site: http://redome.inca.gov.br
O ato foi um marco importante para a unidade hospitalar que já realizou mais de 40 procedimentos, sendo o único hospital da região autorizado a fazer transplantes do tipo autólogo e alogênico – com doadores aparentados.
– Estamos muito felizes com este resultado e temos certeza de que esse é somente o primeiro de muitos casos de sucesso que estão por vir. Trabalhamos de maneira contínua com foco em humanização, tecnologia e profissionalização com o compromisso de entregar a melhor experiência em cuidar. Esse transplante confirma o quanto o Hospital Unimed Volta Redonda está preparado para atender casos de alta complexidade e vamos continuar investindo cada vez mais – declarou o vice-presidente da Instituição, Dr. Vitório Moscon Puntel.

Escrever comentário
Nome*
E-mail*
Comentário*
 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Unimed Volta Redonda. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A Unimed Volta Redonda poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.